De mudança…

A quem por acaso me lê:

Este blog está de mudança para meu domínio próprio, mantendo-se em plataforma WordPress.

Ajustem seus favoritos:

http://www.1307i.com

Nos próximos dias ainda farei alguns ajustes por lá, e este aqui permanece por razões históricas, mas todos os posts foram migrados (exceto este, lógico :P).

Meu blog pessoal/de generalidades também mudou-se para:

http://www.opgoth.com

Screenshot

Meu desktop atual: Arch Linux [testing] + Gnome…
Arch Linux [testing] + Gnome

Ajude-me a ganhar um eeePC…

Clique aqui

Blogged with Flock

Gerúndio: de Camões ao telemarketing | Leonardo Fontenelle

Já escrevi várias vezes em meus blogs, desde 2001, sobre gerundismo, mas sempre vale à pena repetir. Entretanto, prefiro citar o colega no Software Livre, Leonardo Fontenelle que exlica da maneira ótima abaixo:

“O uso do gerúndio pode ser tão irritante que até levou a um neologismo: gerundismo. O gerúndio faz parte da língua portuguesa, tanto culta quanto popular, mas tem colecionado opositores nas últimas décadas. O governador do Distrito Federal, por exemplo, demitiu o gerúndio; e um portal de notícias propôs um Dia Sem Gerúndio. Na verdade, o problema não é o gerúndio em si, mas sim o que ele às vezes indica: falta de compromisso.

“O gerúndio é especialmente irritante quando indica futuro em andamento (vou estar enviando). Essa forma é corriqueira na língua inglesa, e por isso algumas pessoas acham que o gerúndio é uma espécie de anglicismo. Na verdade, o gerúndio sempre fez parte da língua portuguesa, e foi herdado do latim. Os Lusíadas, obra clássica da língua portuguesa, é repleta de gerúndio. Curiosamente, hoje os portugueses usam o infinitivo gerundivo (estou a escrever), enquanto os brasileiros usam a forma clássica (estou escrevendo).

“Expressões como estarei escrevendo são aceitas quando realmente indicam uma ação contínua, que se estenda por todo um período (À tarde estarei escrevendo), ou quando indicam uma ação concomitante, que acontece ao mesmo tempo que outra à qual se refira o texto (Quando você chegar estarei escrevendo). O gerundismo acontece quando o gerúndio é usado no lugar do infinitivo, ou seja, quando ao invés de dizer vou providenciar a pessoa diz vou estar providenciando.

“Como Vladimir Melo comentou, José Roberto Arruda (governador do DF) deveria ter demitido o gerundismo, e não o gerúndio. O gerundismo é usado de forma artificial para indicar gentileza e formalidade no discurso. Pior ainda, indica falta de compromisso por parte do locutor, seja por falta de autonomia, seja por falta de interesse. Enfim, o pior do gerundismo é o uso do gerúndio para desculpa de ineficiência, que é justamente o que o governo do Distrito Federal proibiu no decreto.

“Seria bom podermos demitir a própria ineficiência…”

Gerúndio: de Camões ao telemarketing | Leonardo Fontenelle

Flock Browser no Fedora 8 "Werewolf”

Caso você seja usuário do navegador Flock e resolveu testar o novo Fedora, ou já usa o Fedora e quer testar o Flock, vai perceber que o binário “genérico” disponível no site do navegador não funciona no Fedora 8 (nem no 7, aliás).

O Flock assim como o Firefox, em que é baseado, precisa da biblioteca libstdc++.5.so que não está disponível no Fedora. Se você procurar vai encontrar a libstdc++.6.so, que não tem funções diretamente equivalentes.

Você deve estar pensando: “Mas peraí. Se não tem essa biblioteca, como o Firefox funciona?”. O binário do Firefox que vem na distribuição é modificado pelos desenvolvedores, provavelmente compilado com a biblioteca necessária “linkada” estaticamente.

Mas os binários oficiais do Flock não tem a biblioteca estática. O que fazer, então? É simples, baixe o pacote tar.gz no site, e siga este tutorial (FAQ oficial do Flock).

Agora, abra um terminal e como root, digite:

yum -y install compat-libstdc++*

Isso irá baixar e instalar os pacotes de compatibilidade entre as versões da biblioteca em questão, e pronto, o Flock irá rodar tão bem quanto o Firefox.

Blogged with Flock

"Android” Revelado…

A Google não quer lançar um gPhone.

Lançando uma plataforma aberta, ela potencializa um mercado repleto de gPhones, sem precisar competir diretamente com ninguém…

Links:
Android’s website
Videos about Android

Blogged with Flock

Fedora 8 “Werewolf”

A nova versão do Fedora foi lançada sexta-feira passada, dia 8. Já existem vários bons reviews por aí, e não pretendo fazer mais um aqui.

Estou testando desde ontem (sábado), e devo dizer que os “erros” cometidos nas versões anteriores me parecem ter sido devidamente sanados… Fedora agora já está competitiva, em relação ao Ubuntu.

Deixo aqui uma dica, para quem quiser se aventurar a testar, ou voltar a usar. Embora o Howto Forge ainda não tenha lançado o Perfect Desktop para o Fedora 8, este artigo deixará sua instalação “no ponto”, começando com a configuração do sudo (*piscando* para os usuários do Ubuntu) e incluindo multimídia e afins…